19.10.06

Apresentação

:::::: U R I L

A S S O C I A Ç Ã O

CULTURA CABO - VERDIANA

APRESENTAÇÃO

A URIL, pretende ser uma associação de carácter cultural, de direito privado, de inscrição facultativa, aberto a qualquer cidadão maior independentemente da sua origem, sem fins lucrativos, duração por tempo indeterminado, que se regerá por estatutos e regulamentos internos próprios, e que se denominará URIL – Cultura Cabo-verdiana, Associação, podendo também ser designada abreviadamente por URIL. A estrutura organizativa da URIL é composta por Assembleia Geral, Conselho Fiscal, Direcção, e Conselho Deliberativo.

A designação URIL, escolhida de entre muitas outras hipóteses, pretendeu ser uma referência a um elemento identificador da tradição cultural cabo-verdiana, e uma referência à ideia de JOGO na sua vertente mais rica, enquanto sinónimo de arte, imaginação, criatividade e partilha.

A URIL, nasceu da vontade de um grupo de artistas, criadores, intelectuais, e agentes culturais das mais diversas áreas criativas, com o objectivo de organizar, estruturar e promover a sua intervenção em Portugal e no mundo, tendo como elo comum a Cultura Cabo-verdiana.

A URIL, ao reconhecer o papel relevante e imprescindível da cultura para o desenvolvimento integral e equilibrado dos cidadãos, nomeadamente na promoção dos direitos humanos e da cidadania, subordinará a sua actividade ao respeito pelos seguintes objectivos:

a) defender, promover e contribuir para o desenvolvimento da cultura cabo-verdiana;

b) eleger como parceiros estratégicos e programáticos privilegiados, os Estados de Cabo Verde e de Portugal, e suas estruturas de representação no âmbito da cultura e da educação, e quaisquer outras entidades públicas ou privadas que com ela pretendam colaborar;

c) promover, incentivar, e participar, na realização de projectos e eventos que contemplem iniciativas paralelas de formação e reflexão, que estimulem o intercâmbio, fomentem a transversalidade, e a cooperação;

d) constituir-se como consultor privilegiado para organismos, entidades e organizações, públicas e privadas, nacionais e internacionais, nas áreas criativas em que opera, com vista influenciar políticas e projectos culturais e educativos;

e) assegurar a defesa dos direitos e interesses, tanto de natureza patrimonial como moral, no seio da URIL, ou junto de outras organizações especializadas para o efeito, nomeadamente as Sociedades de Autores;

f) fomentar a educação e a formação técnica dos seus membros em particular, e de todos aqueles que o solicitem no âmbito das suas atribuições e objectivos.

Apesar do vazio organizativo e da pouca visibilidade prevalecentes, os artistas, criadores, intelectuais e agentes culturais, têm contribuído decisivamente para o prestígio da Cultura Cabo-verdiana, e de Cabo Verde, no mundo, dando provas da sua capacidade, do seu mérito, do seu prestígio, e da sua singularidade.

O sucesso desta Associação, depende unicamente da nossa vontade de djunta-mon, e de acreditarmos que é possível, de novo, fincar os pés no chão e sonhar.