15.12.06

Encontro com o Sr .Primeiro Ministro

Na passada semana sabendo da passagem do Sr. 1º Ministro de Cabo Verde, José Maria Neves por Lisboa e encetamos contactos para tentar obter uma audiência, audiência essa que foi conseguida.
Demos-lhe a conhecer a nossa iniciativa de criar esta Associação de Artistas e ainda os nossos objectivos para o futuro.
Foi-lhe entregue a carta da apresentação e ainda o organograma da Associação.
Ficamos cientes de que ali temos mais um apoiante para este nosso projecto e ainda exortou-nos a continuar os nossos esforços para unir os artistas em volta do mesmo objectivo que é divulgar a Cultura, divulgar Cabo Verde e fazer valer os nossos valores patrimoniais.

Em nome de todos aproveito para agradecer às pessoas que tornaram este encontro possível e um obrigado pelo seu tempo que nos disponibilizou.

7.11.06




























PRESS RELEASE

URIL – Cultura Cabo-verdiana, Associação

apresentado em Lisboa

No passado domingo, dia 5 de Novembro, pelas 17:15h, na Casa da Morna, em Lisboa, foi feita a apresentação oficial da URIL a artistas, criadores, agentes e promotores culturais, e alguns convidados, e que contou com uma numerosa assistência, calculada em quase 60 pessoas.

A reunião teve lugar no espaço que viu nascer a ideia da sua criação, quando em Julho passado, num encontro de artistas e criadores cabo-verdianos com o ministro da cultura Dr. Manuel Veiga, de passagem por Portugal, foi lançado o desafio aos artistas e criadores então presentes.

De recordar que a iniciativa daquele encontro, a par de outras que vêm sendo levadas a cabo, foi da responsabilidade da Casa da Morna, que assim se afirma como um espaço incontornável na divulgação e promoção da cultura cabo-verdiana em Portugal.

A reunião serviu para informar os presentes dos passos que foram dados por um grupo de trabalho liderado pelos “pais” da iniciativa, Celina Pereira e Humberto Ramos, nomeadamente a escolha do nome e o seu competente registo, a definição da natureza e dos objectivos da Associação, bem como das iniciativas em curso, nomeadamente a elaboração dos Estatutos e do Regulamento Interno. Na oportunidade foi apresentado um documento de síntese, contendo o esboço de uma proposta de estrutura organizativa sob a forma de um Organograma que mereceu por parte de alguns dos presentes alguns pedidos de esclarecimento, tendo sido feitas algumas sugestões.

Para além da numerosa participação, foi motivo de regozijo a pontualidade dos presentes, o entusiasmo com que a ideia foi acolhida, traduzido nas numerosas intervenções que tiveram lugar, tendo o encontro terminado dentro do horário previsto, cerca de hora e meia após o seu início.

Tratou-se uma reunião informal, com o propósito de escutar a opinião, ideias e sugestões dos presentes com vista o enriquecimento do debate e do projecto.

O grupo de trabalho ficou de apresentar a proposta de Estatutos, Regulamento Interno e Organograma em reunião a ocorrer antes do fim do corrente ano.

:::::: U R I L 1/1






::::::: URIL

No passado dia 5 de Novembro reuniram-se cerca de 60 pessoas na Casa da Morna, em Lisboa, para participar na apresentação do projecto associativo URIL.

Trata-se de uma organização de carácter cultural que objectiva organizar, estruturar e promover manifestações das artes e ideias cuja matriz é Cabo Verde e/ou a cultura cabo-verdiana. Tendo como estratégia basilar um compromisso de equipa, a URIL convocou para esta apresentação artistas, agentes culturais, intelectuais, professores, jornalistas entre outros.

A adesão foi positiva tendo comparecido um público transversal: cerca de 60 pessoas com idades, nacionalidades, competências, estéticas e de áreas distintas. O público presente contribuiu para realçar a emergência de uma estrutura cultural independente, funcional, dinâmica e efectivamente representativa: se URIL responde às necessidades do mercado cultural cabo-verdiano os agentes do mercado * responderam à iniciativa com uma adesão extraordinária.

Neste primeiro encontro aberto a estrutura organizadora propôs a discussão, contributos e propostas gerais para a URIL. Segue-se então um resumo das valiosas intervenções dos presentes que manifestaram apreço e solidariedade para com o projecto URIL.

- A estrutura organizativa da associação: as opiniões dividiram-se sobre a necessidade de redução dos órgãos administrativos ou a manutenção de uma estrutura-tipo.

- A estruturação e definição das áreas criativas: as várias opiniões realçaram a necessidade de uma redefinição que provavelmente construir-se-á em função das necessidades, conforme o descrito no organograma proposto.

- Sobre as jóias e quotas: apesar de não terem sido sugeridos valores foi comummente aceite que é necessário uma política de actuação sinérgica, através de protocolos e parcerias, com as demais estruturas e organizações públicas e privadas no sentido de permitir uma autonomia financeira não subordinada ao pagamento de quotas.

- O desenvolvimento de mecanismos de comunicação e acção abertos: vários intervenientes manifestaram o desejo de que a URIL ser uma estrutura descentralizada, independente, aberta, dinâmica e, consequentemente, eficaz.

- Uma presença estratégica e representativa nos media (desde a produção de conteúdos e formatos exclusivos ao reposicionamento do interesse noticioso sobre a comunidade cabo-verdiana)

URIL demonstrou-se um projecto de interesse público, pertinente e capaz… basta djunta mon!

por: Samira Pereira

Contribuíram, com a sua intervenção: Adriano Reis; Corsino Fortes; Corsino Tolentino; Daniel Pereira; Horácio Santos; José Brazão; José Cunha; Maria Alice; Marino Silva; Mito; Nancy Vieira; Rolando Semedo; Rita Lobo; Rô Gomes; Rui Lopes da Silva; Rui Machado; Samira Pereira; Santos Cabral; Vaiss; entre outros.



* Entenda-se por agentes do mercado TODOS aqueles que o compõem, activamente e passivamente/ directa e indirectamente.
Estiveram presentes:

Adriano Gonçalves-Bana
Adriano Reis
Albertina Rodrigues-Titina
Alberto Rui Machado
Amandio B.Ferreira
Angélica L.Mendes
Antonio Coelho
Antonio da Costa Neto
Antonio Danise
Aristides Paris-Tito Paris
Aurelio Santos
Carlos Morais
Cau Paris
Celina Pereira
Corsino Fortes
Corsino Tolentino
Djudjuty alves
Euclides Vilela
Felismina Mendes
Fernanda
Gilson Patrick Ramos
Heloisa Monteiro
Herculano Vieira
Horácio Santos
Humberto Ramos
João de Oliveira
João Monteiro da Luz
João Santos
João Santos Cabral
João Vieira
Joaquim Arena
José António
Jose Brazão
José Brazão
José Cunha
José Monteiro
Jose´Afonso
José L. Hopffer Almada
Jucinda Tavares
Lurdes Semedo
Marcos Rodrigues
Maria Alice
Maria do Rosário
Maria Fernanda Tavares
Maria Rita Lobo
Marino Silva
Mario Rocha
Miguel Louro
Mito Elias
Nancy Vieira
Nardacchione Maria Pina
Nuno Fortes
Osvaldo Dias-Vaiss
Paulo de Figueiredo-Paló
Rolando Semedo
Rui Lopes da Silva
Salif Silva
Samira Pereira
Silvestre Rocha

24.10.06

05 de Novembro às 17.00hrs CASA DA MORNA

Caros artistas, criadores de arte e promotores

Venho por este meio convocar-vos para uma reunião no próximo dia 05 de Novembro pelas 17.00horas, na Casa da Morna em Lisboa, para apresentação do projecto URIL-Cultura Cabo-Verdiana, Associação, e para se inteirarem dos trabalhos realizados até esta data.
Esperamos não ter espaço para tanta gente.
Agradeciamos a sua confirmação para o email b2ramos@gmail.com.

19.10.06

Apresentação

:::::: U R I L

A S S O C I A Ç Ã O

CULTURA CABO - VERDIANA

APRESENTAÇÃO

A URIL, pretende ser uma associação de carácter cultural, de direito privado, de inscrição facultativa, aberto a qualquer cidadão maior independentemente da sua origem, sem fins lucrativos, duração por tempo indeterminado, que se regerá por estatutos e regulamentos internos próprios, e que se denominará URIL – Cultura Cabo-verdiana, Associação, podendo também ser designada abreviadamente por URIL. A estrutura organizativa da URIL é composta por Assembleia Geral, Conselho Fiscal, Direcção, e Conselho Deliberativo.

A designação URIL, escolhida de entre muitas outras hipóteses, pretendeu ser uma referência a um elemento identificador da tradição cultural cabo-verdiana, e uma referência à ideia de JOGO na sua vertente mais rica, enquanto sinónimo de arte, imaginação, criatividade e partilha.

A URIL, nasceu da vontade de um grupo de artistas, criadores, intelectuais, e agentes culturais das mais diversas áreas criativas, com o objectivo de organizar, estruturar e promover a sua intervenção em Portugal e no mundo, tendo como elo comum a Cultura Cabo-verdiana.

A URIL, ao reconhecer o papel relevante e imprescindível da cultura para o desenvolvimento integral e equilibrado dos cidadãos, nomeadamente na promoção dos direitos humanos e da cidadania, subordinará a sua actividade ao respeito pelos seguintes objectivos:

a) defender, promover e contribuir para o desenvolvimento da cultura cabo-verdiana;

b) eleger como parceiros estratégicos e programáticos privilegiados, os Estados de Cabo Verde e de Portugal, e suas estruturas de representação no âmbito da cultura e da educação, e quaisquer outras entidades públicas ou privadas que com ela pretendam colaborar;

c) promover, incentivar, e participar, na realização de projectos e eventos que contemplem iniciativas paralelas de formação e reflexão, que estimulem o intercâmbio, fomentem a transversalidade, e a cooperação;

d) constituir-se como consultor privilegiado para organismos, entidades e organizações, públicas e privadas, nacionais e internacionais, nas áreas criativas em que opera, com vista influenciar políticas e projectos culturais e educativos;

e) assegurar a defesa dos direitos e interesses, tanto de natureza patrimonial como moral, no seio da URIL, ou junto de outras organizações especializadas para o efeito, nomeadamente as Sociedades de Autores;

f) fomentar a educação e a formação técnica dos seus membros em particular, e de todos aqueles que o solicitem no âmbito das suas atribuições e objectivos.

Apesar do vazio organizativo e da pouca visibilidade prevalecentes, os artistas, criadores, intelectuais e agentes culturais, têm contribuído decisivamente para o prestígio da Cultura Cabo-verdiana, e de Cabo Verde, no mundo, dando provas da sua capacidade, do seu mérito, do seu prestígio, e da sua singularidade.

O sucesso desta Associação, depende unicamente da nossa vontade de djunta-mon, e de acreditarmos que é possível, de novo, fincar os pés no chão e sonhar.

Reunião do dia 18 de Out

uff...
ja foi entregue a inscrição dos possíveis nomes para Associação vamos aguardar a resposta do Registo Nacional de Pessoas Colectivas para termos a certeza que aceitaram um dos 3 nomes nomes propostos:
URIL - cultura cabo-verdiana, associação
MANTENHA - cultura cabo-verdiana, associação
MANXE - cultura cabo-verdiana, associação
Na próxima semana teremos o veredito.

A reuniao começou na hora marcada.
Estiveram presentes :
Humberto Ramos, Celina Pereira, José Cunha, José Afonso, Palo, Amandio Ferreira, Emanuel Santos (arquiteto e músico) e ainda um ilustre convidado, DJINHO BARBOSA.
Aproveitamos para ouvir algumas preocupações desse grande músico que vive em Cabo Verde e notamos algumas preocupações comuns.
Ficou acordado que a proxima reunião será para discutir os estatutos.
Esperamos ter isso em mãos ainda na proxima semana.

Reunião do dia 12 de OUT

Humberto Ramos e Celina Pereira

O dia foi muito mau por haver grevistas na rua a manifestarem-se contra algumas leis...
foi um caos a nível de transito em Lisboa

Mesmo assim ainda reunimos com os que conseguiram chegar ao local da reunião:
Humberto Ramos, celina Pereira, José Cunha, e Mito Elia(1ª aparição)


Continuamos a discussão do nome para associação apareceram mais nomes:
Sibitchi
Manxe
Lava
N'doli n'doli
cimbrom

a juntar a outros que ja tinham sido propostos como, meio-tom, cimboa...

27.9.06

Reunião de 4 de Out

alguns participantes a preparar para o debate


Hoje 4 de Outrubro, Quarta-feira às 18.00 hrs na Associação Caboverdeana.
Continuraremos a discutir o nome para a referida Associação e contamos ter já a proposta dos estatutos para discussão.
Apareçam...

20.9.06

26 de Setembro 18.30hrs - Reunião

Reunião dia 26 de Setembro às 18.30 hrs.
local: Associação Caboverdeana em Lisboa.

Na Reunião estiveram presentes: Humberto Ramos, Celina Pereira, José Cunha, José Afonso, Vaiss, Jon Luz, Amandio B. Ferreira e Eliseu Sanches.

Ficaram vários nomes na mesa para discutirmos no próximo dia:
Cimboa
Rabeca
Culcav
Xerem
Acca
MAio-tom
Tchabeta....
Tu também podes sugerir-nos um nome, escreva um comentário e de a tua sugestão.

Um abraço e até breve.

19.9.06

Reunião do dia 19 de Setembro

Como era de prever o nosso 2º encontro teve mais colaboração visto termos conseguido levar mais pessoas para o referido encontro.
Estiveram presentes, Celina Pereira, Humberto Ramos, GilsonGee, José Afonso, José Cunha, Ró, Djone Santos, Paló e Rita Lobo.
A reunião começou na hora prevista e estivemos reunidos até às 20.00 horas.
Foram abordados todos os pontos da ordem de trabalhos onde todos participaram com as suas experiências e ideias.
Ficou decidido todos os pontos da ordem de trabalhos e marcamos um novo encontro para a próxima terça feira dia 26 às 18.30 hrs na Associação Caboverdeana em Lisboa.


Ordem de trabalhos:

1º Organização da Associação
2º Definir o organigrama da Associação
3º Acções onde irá actuar a Associação
4º Votar o nome para a Associação
5º Diversos